Muito cedo foi tarde demais em minha vida. Aos dezoito anos já era tarde demais.
Entre os dezoito e os vinte e cinco anos, meu rosto tomou um rumo imprevisto.
Aos dezoito anos envelheci.
– Marguerite Duras, O Amante
Ao visitar meus próprios arquivos, escolhi algumas das minhas primeiras fotografias e montei uma história sobre essa época da minha vida. Este é um ensaio sobre olhar o mundo através dos olhos de uma adolescente. Silêncios apresenta uma narrativa íntima de autodescoberta. É também um projeto sobre mudanças e permanências e uma homenagem aos nossos inícios.
A visita aos arquivos acontece 10 anos após o início do meu relacionamento com a linguagem fotográfica. Quando adolescente, passei muito tempo sozinha e em ambientes fechados e procurei os recursos disponíveis para experimentar diferentes formas de expressão. Luzes, texturas, óculos, celofane, hora do crepúsculo, meu próprio corpo: fotografava obsessivamente. Naquela época, um amigo meu disse: "Eu vi suas fotos, tem muito silêncio".
Silêncios | Primeiras fotografias, 2007-2009 é um projeto de autoapropriação e um fotolivro artesanal de baixa tiragem, impresso em agosto de 2017 [esgotado].
Existe uma máxima que diz que todas as nossas obras estão previstas em potencial nos nossos primeiros trabalhos. Em homenagem aos começos, volto a esta coleção de fotografias produzidas quando eu tinha 17 a 19 anos.
Quando estamos aprendendo a falar uma língua, às vezes emperramos em como dizer exatamente o que queremos. As coisas perto de nós e nosso próprio corpo se convertem em ferramentas que nos ajudam a quebrar o silêncio.
Olhar novamente para essa coleção me fez pensar sobre enquadramento e reenquadramento. Recuperar o passado é perceber os pontos de vista antigos e como, apesar de tanto tempo, algumas coisas não mudam.
___________________________________________________________________________________​​​​​​​
In visiting my own archives, I chosed some of my first photographs made when I was 17 and 18 years old and put together a story about that time of my life. This is a project about looking to the world through the eyes of a teenager. Silêncios presents an intimate narrative of self-discovery. Also this is a project about changes and stays and also a tribute to our beginnings.
Visiting the archive happens 10 years after the beginning of my relationship with the photographic language. When a teenager, I spent a lot of time alone and indoors and sought out the resources available to experiment diferent ways of expression. Lights, textures, glasses, cellophane, twilight hour, my own body: I photographed obsessively. At that time, a friend of mine said: "I saw your pictures, it has a lot of silence".
Silêncios | Early works, 2007-2009 is a self-appropriation project and a handmade low-run printed photobook. Printed in August 2017 [sold out].